ago
13
2015

Que dia é hoje mesmo?

Estou viciada em assistir vídeos no Youtube de blogueiras de diversos assuntos, principalmente de maquiagem. Andei observando um padrão entre várias delas, assim como as pessoas à minha volta: todas dizendo que o tempo está passando muito rápido e que o ano já está quase no fim. Cliché, eu sei. Mas muitas dessas youtubers trocam os meses e dizem: “vou mostrar meus produtos favoritos do mês de julho, ops, agosto”.  Esse exemplo é somente pra ilustrar o quanto os momentos, o tempo e as situações passam sem percebermos.

Li alguma vez em algum lugar que o presente não existe, pois quando se para para pensar nele, já tornou-se passado. Então haveria somente passado e futuro? Não sei, mas estamos sempre em busca de muitas coisas e as pessoas estão ainda mais individualistas. Seriam esses os grandes vilões da história, as coisas e o individualismo excessivo? Gostaria de pensar que não, pois ao sermos mais individualistas nos conhecemos melhor e descobrimos o que nos faz feliz…mas perdemos muito da vida em grupo e interação com outros indivíduos nesse meio tempo.

Percebo que atualmente até as pessoas mais boazinhas e compreensivas não suportam muita coisa. Se não está tudo do seu jeito, não tem jeito. Hum…antigamente eramos obrigados a suportar muitas coisas desnecessárias mas tudo tomou um rumo bem “não aceite nada como está, faça do seu jeito”. Isso é legal para um incentivo interior, mas o mundo está levando tudo ao pé da letra.

Agora, voltando nessa coisa do tempo passar cada vez mais rápido, vamos pensar: você hoje faz e busca uma quantidade de coisas que buscava há, digamos, dez anos atrás? Eu arrisco um palpite que não. Então pare para pensar, quando foi a última vez que visitou pessoas queridas ou sentiu uma verdadeira sensação de relaxamento e tranquilidade. Quantas noites mal dormidas, dores no corpo, dramas, irritações, e tudo pra que? Muita gente que parou pra pensar nisso surtou e abandonou o estilo de vida corrido por algo totalmente oposto.

Depois de tudo isso acabamos voltando em parte no individualismo novamente, e pensando, o que me dá mais prazer? Talvez seja essa a resposta para todas as suas questões. Mas lembre-se que a moderação é a chave do equilíbrio, em todos os campos e todos os sentidos.

Compartilhe:

Deixe seu comentário

Sobre

Tatiana, moro no interior de São Paulo, sou formada em moda e amo todo o universo feminino...
Saiba mais...
Clara Milla

Maria Madu

Follow me

Facebook rss Instagram Pinterest